Arquivo

Arquivo de agosto, 2009

Para Ministério da Agricultura contaminação é problema do produtor

28, agosto, 2009 Sem comentários

O jornal gaúcho Correio do Povo publicou uma grande reportagem (de capa) no último domingo (23/08) sobre a falta de controle e fiscalização quanto à contaminação de lavouras de milho convencional por variedades transgênicas.

Além de divulgar a nota técnica elaborada pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado do Paraná — que constatou a falta de fiscalização do governo federal quanto ao cumprimento das regras de isolamento das lavouras de milho transgênico determinadas pela CTNBio e questionou a própria eficácia das normas — a matéria gaúcha relata que o descontrole também é total no Rio Grande do Sul: Leia mais…

Seminário debate proteção da agrobiodiversidade

28, agosto, 2009 Sem comentários

Curitiba, 28 de agosto de 2009 | Durante os dias 25 e 26 de agosto, cerca de 80 pessoas, representantes de organizações de agricultores, movimentos sociais, ONGs e institutos de defesa dos consumidores se reuniram em Curitiba para debater os efeitos e impactos da expansão dos transgênicos no Brasil sobre a biodiversidade, saúde e direitos dos agricultores e consumidores.

Na ocasião, o dia 21 de outubro foi instituído como um dia de luta contra os transgênicos. A data é uma homenagem ao militante do MST, Valmir Mota, mais conhecido como Keno, assassinado por seguranças de empresa contratada pela Syngenta Seeds em 2007, em Santa Tereza do Oeste (PR). Ele participava, junto com outros movimentos da Via Campesina, de uma ocupação em uma área de experimentos de Organismos Geneticamente Modificados da multinacional, dentro da zona de amortecimento do Parque Nacional do Iguaçu. Hoje, a propriedade abriga uma fazenda-escola que trabalha com sementes orgânicas. Leia mais…

Categories: agroecologia, transgênicos Tags:

CTNBio se esquiva do problema da contaminação

24, agosto, 2009 Sem comentários

Na última quarta-feira 19, seis organizações da sociedade civil solicitaram que fosse incluído na pauta da CTNBio um requerimento de informação pedindo seu posicionamento acerca da constatação da contaminação de milho convencional por milho transgênico, comunicada recentemente pela Secretaria de Agricultura do Paraná (Seab).

No início da sessão, o presidente Walter Colli colocou em votação a agenda do dia sem incluir a demanda das organizações. O pedido só foi incluído na pauta por solicitação do representante da sociedade civil na área de meio ambiente. Leia mais…

Promessas em alta, preços também – parte 2

21, agosto, 2009 Sem comentários

Conforme noticiado pelo Valor Econômico (21/08), aqui no Brasil, a Monsanto já anunciou que elevará os royalties da soja trasngênica em 26%. Em reunião reservada com a Associação dos Produtores de Soja (Aprosoja), a Monsanto teria avisado que também elevará a taxa tecnológica cobrada pelo milho transgênico resistente a insetos, mas sem informar o valor.

“Estamos pensando em ir à Justiça porque não temos alternativa”, disse o presidente do Sindicato dos Produtores de Sinop, Antônio Galvan. Segundo o Valor, os produtores ameaçam questionar na Justiça o aumento unilateral apresentado nesta semana.

Leia mais…

CTNBio não avalia contaminação

21, agosto, 2009 Sem comentários

O Estado de S. Paulo, 21/08/2009

Lígia Formenti

Sob a justificativa de que não havia elementos técnicos necessários, a Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) não quis avaliar uma nota técnica feita pela Secretaria de Agricultura do Paraná em que é comunicada a contaminação de lavouras de milho com espécies transgênicas no Estado.

O pedido de análise havia sido feito por entidades não governamentais e reforçado por representantes do Ministério do Meio Ambiente na comissão. Para a maioria dos integrantes da CTNBio, no entanto, a nota era genérica e não trazia elementos necessários para uma discussão científica. A nota da secretaria do Paraná aponta a contaminação de lavouras de milho e atribui o problema à falha de fiscalização. Leia mais…

PR conclui que controle de transgênicos não funciona

15, agosto, 2009 Sem comentários

FOLHA DE SÃO PAULO

São Paulo, sábado, 15 de agosto de 2009

Levantamento do Estado afirma que milho transgênico contaminou outros plantios

Maior produtor de milho do país teme efeitos sobre a exportação do Estado e pede ao Planalto mudanças para a safra de verão

AGNALDO BRITO

DA REPORTAGEM LOCAL

A Secretaria da Agricultura e do Abastecimento do Estado do Paraná concluiu que as regras de segregação das lavouras de milho transgênico Bt determinadas pela CTNBio (Comissão Técnica Nacional de Biossegurança) para todo o país não funcionam na prática. A conclusão do levantamento foi entregue ao governo federal pelo secretário paranaense de Agricultura, Valter Bianchini.

A resolução nº 4 da Comissão exige uma faixa de 20 metros entre uma lavoura de milho transgênico e outra convencional nas regiões onde predomina a pequena propriedade.

Depois de avaliar o resultado da primeira safra comercial de milho transgênico (a safrinha, na qual o Paraná colheu 4,7 milhões de toneladas -1,1 milhão de toneladas de milho geneticamente modificado), o maior produtor de milho do país concluiu que o governo federal foi incapaz de fiscalizar o cumprimento das regras de plantio definidas pela CTNBio. Mas, mais do que isso, o Paraná observou que as regras definidas pela comissão são ineficazes. Leia mais…

Promessas em alta, preços também

14, agosto, 2009 Sem comentários

A Monsanto, a maior produtora mundial de sementes, pretende cobrar até 42% mais por suas sementes transgênicas em 2010. A soja “Roundup Ready 2 Yield” vai custar aos sojicultores americanos uma média de US$ 182,72 por hectare e a soja original “Roundup Ready” em US$ 128,39 por hectare, informou a companhia à Bloomberg (Valor Econômico, 14/08).

É o preço do monopólio…

Categories: empresas, transgênicos Tags: ,

Paraná alerta governo federal sobre contaminação por milho transgênico

11, agosto, 2009 Sem comentários

Agência de Notícias, Estado do Paraná, 10/08/2009

A Secretaria da Agricultura e do Abastecimento está preocupada com a eficácia das normas federais vigentes para evitar a contaminação das lavouras paranaenses de milho convencional pelo milho transgênico. O secretário Valter Bianchini enviou nota técnica ao Governo Federal em que expõe as dúvidas referentes à fiscalização e ao cumprimento da legislação sobre a cadeia produtiva do milho. “Estamos preocupados em preservar o direito do produtor que quer cultivar o milho convencional e do consumidor, que deve saber exatamente o que está consumindo”, explicou o secretário. Leia mais…

Lula amplia poderes da CTNBio

10, agosto, 2009 Sem comentários

No último dia 6 o Presidente assinou decreto regulamentando artigo do Protocolo de Cartagena que trata da definição da “autoridade competente” sobre biossegurança no Brasil. O Decreto 6.925/09 define como ponto focal para o Acordo o Ministério das Relações Exteriores e como Autoridades Nacionais Competentes a CTNBio, o Ministério da Agricultura, a Anvisa, o Ibama e o Ministério da Pesca.

A partir de agora a CTNBio pode decidir sozinha sobre a importação de sementes transgênicas (ou outros organismos vivos modificados) cujo destino é a introdução no meio ambiente. Note que a importação de sementes para uso confinado (laboratórios e estufas) não está sob a abrangência do Protocolo e já era feita pela CTNBio. A novidade significa que as empresas poderão produzir sementes em outros países e enviá-las ao Brasil bastando para isso o consentimento da Comissão – na prática, o voto de 14 de seus integrantes. A decisão sobre incidência de informação confidencial no pedido de importação também será decisão da CTNBio. Leia mais…

Categories: CTNBio, governos Tags:

O jogo da contaminação

8, agosto, 2009 Sem comentários

(a matéria é do mês passado, mas mostra que a já precária regra da CTNBio é ignorada pelos produtores, pouco ou nada fiscalizada e, de quebra, as cooperativas não segregam a produção — as empresas devem estar nadando de braçada…)

Folha de Londrina, 13 de julho de 2009

Des­co­nhe­ci­men­to no cam­po

Resolução Normativa, da CTNBio, determina as normas de plantio do milho OGM e convencional; regra ainda não é integralmente cumprida no Paraná por não haver separação dos grãos nas cooperativas nem diferença no preço

Mais de 90% dos pro­du­to­res de mi­lho do Pa­ra­ná ain­da des­co­nhe­cem a nor­ma das dis­tân­cias mí­ni­mas pa­ra o plan­tio de mi­lho, po­pu­lar­men­te co­nhe­ci­da co­mo coe­xis­tên­cia. A Re­so­lu­ção Nor­ma­ti­va 4/07, da Co­mis­são Téc­ni­ca Na­cio­nal de Bios­se­gu­ran­ça (­CTNBio), de­ter­mi­na as re­gras de plan­tio de mi­lho con­ven­cio­nal e trans­gê­ni­co, mas es­ti­ma­ti­vas da Se­cre­ta­ria de Es­ta­do da Agri­cul­tu­ra e do Abas­te­ci­men­to (­Seab) mos­tram que no cam­po o des­co­nhe­ci­men­to ain­da é gran­de. ­Além dis­so, ou­tro fa­tor que tem co­la­bo­ra­do pa­ra que es­sa re­so­lu­ção não se­ja in­te­gral­men­te cum­pri­da é o pró­prio mer­ca­do: a maio­ria das coo­pe­ra­ti­vas não têm se­pa­ra­do os ­grãos e o pre­ço pa­go pe­lo pro­du­to é o mes­mo. Leia mais…