Arquivo

Arquivo de agosto, 2010

Mato Grosso sedia Congresso Nacional sobre Agrotóxicos, Saúde e Meio Ambiente

30, agosto, 2010 Sem comentários

ASCOM MPT/MT, 27/08/2010

O estado de Mato Grosso será sede do “Congresso Agrotóxicos, Saúde e Meio Ambiente: o direito à informação“, nos dias 21 e 22 de setembro. O evento será realizado no auditório do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do estado, na cidade de Várzea Grande/MT.

Na programação estão previstas as participações de pesquisadores da EMBRAPA, FIOCRUZ, da ABRASCO, do INDEA, representantes das ONG’s OLUMA, FASE e da BRASILBIO, autoridades estaduais das áreas da saúde, agricultura, pecuária, advogados, promotores, procuradores e juízes do Trabalho.

O congresso é uma realização da Escola Superior do Ministério Público da União e conta com o apoio do Fórum Nacional de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos, da 4ª Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal, do Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso e do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento-Superintendência Federal/MT.

Entre os assuntos que serão abordados nas palestras divididas por mesas de debates estão o impacto dos agrotóxicos no mapa ambiental e na saúde no Brasil; agroecologia e alternativas ao uso de agrotóxicos; agrotóxicos e o direito à informação: dever do estado e do setor privado, entre outros.

As inscrições poderão ser feitas pelo endereço http://www3.esmpu.gov.br,

e-mail: inscricoes@esmpu.gov.br

Informações adicionais pelos telefones: (61) 3313 51 65 (65) 3613-9140

Confira abaixo a programação

Leia mais…

Pelo limite da propriedade da terra

28, agosto, 2010 Sem comentários

Plebiscito de 01 a 7 de setembro

Veja em http://www.limitedaterra.org.br/ como participar

Thanks, Brazil!

27, agosto, 2010 Sem comentários

Semana passada a Monsanto aprovou aqui variedade de soja transgênica jamais liberada em qualquer outro país. Conforme divulgou em nota, a empresa agora buscará a aprovação do produto em países importadores. Para isso já conta com o beneplácito do órgão competente de um dos maiores produtores agrícolas do mundo. Este será sem dúvida o grande trunfo da Monsanto para pressionar pela aceitação de sua nova soja nos demais países.

O fato leva a crer que as empresas se deram conta de que a certeza de liberação no Brasil pode ser sua grande vitrine e peça estratégica na abertura do mercado global para suas novas sementes transgênicas. Até hoje a CTNBio aprovou todos os pedidos de liberação comercial sobre os quais deliberou. Não contente, dispensou todos do licenciamento ambiental prévio, escanteando o Ibama.

Mas essa estratégia pode não ser infalível. A Bayer por duas vezes tentou iniciar por aqui a comercialização de seu arroz Liberty Link, mas a rejeição pública foi mais forte e o processo foi retirado de pauta por iniciativa da empresa antes mesmo de ser votado.

– por AS-PTA

Paraguai: entidades denunciam impactos das monoculturas transgênicas

27, agosto, 2010 Sem comentários

http://www.redrural.org.py/

Agência de Informação Frei Tito para a América Latina, 26/08/2010

por Tatiana Félix, jornalista da Adital

Uma intensa mobilização de entidades ambientalistas aconteceu ontem (25), no Paraguai, com o objetivo de apresentar para a sociedade os impactos negativos do monocultivo de grãos transgênicos como a soja e o milho. Segundo as entidades, este tipo de cultivo afeta, diretamente, os direitos humanos das comunidades campesinas e indígenas, e, também o de toda a população. Na ocasião também foi lançada a campanha nacional “Paraguai livre de milho transgênico”.

A análise foi apresentada pela Associação de ONGs do Paraguai (POJOAJU), a Coordenadora de Direitos Humanos do Paraguai (CODEHUPY) e a Rede Rural de Organizações Privadas de Desenvolvimento (REDE RURAL). Eles afirmaram que “todos os produtos com manipulação genética estão destinados a aumentar os biocombustíveis, afetando a ecologia, a economia, o ambiente, mas, não estão destinados a superar a falta de alimentos da população mundial”. Leia mais…

DNA transgênico no leite e em órgãos de animais alimentados com transgênicos

26, agosto, 2010 1 comentário

Uma revisão da literatura científica conduzida recentemente pela ONG Testbiotech encontrou crescentes evidências de que fragmentos de DNA de plantas transgênicas podem ser encontrados em leite, órgãos internos e músculos de animais. Em abril de 2010, cientistas da Itália relataram a presença de sequências de DNA de soja transgênica em leite de cabras. Traços deste DNA foram também encontrados nos cabritos alimentados com o leite das cabras.

Leia mais sobre o assunto abaixo e no relatório elaborado pelo professor Jack Heinemann, da Universidade de Canterbury, Nova Zelândia: Report on Animals Exposed to GM Ingredients in Animal Feed

Leia mais…

Justiça dos EUA suspende aprovação de beterraba açucareira transgênica

26, agosto, 2010 Sem comentários

Uma corte federal de São Francisco, nos EUA, revogou em 13 de agosto a aprovação da beterraba açucareira transgênica Roundup Ready, tolerante à aplicação do herbicida glifosato, alegando que o Departamento de Agricultura do governo não avaliou adequadamente as consequências ambientais do cultivo antes de autorizar o plantio comercial.

Leia mais…

Médico inglês alerta para impactos dos transgênicos à saúde

26, agosto, 2010 Sem comentários

“Quem diz que não há sinais de danos e que a tecnologia é absolutamente segura não está agindo de acordo com a ciência”.

Michael Antoniou

professor de biologia molecular e terapia genética do King’s College de Londres


Antoniou esteve no Brasil em junho e concedeu entrevista à revista da Associação Paulista de Medicina, que pode ser lida nos links abaixo.

parte 1

parte2

parte3

A grande mentira do algodão transgênico na Espanha

26, agosto, 2010 Sem comentários

Agricultores e ecologistas na Espanha apresentam dados comprovando que, além das possíveis consequências à saúde e ao meio ambiente, o algodão transgênico não é mais lucrativo pois exige maior despesas com insumos e sementes caras.

Segue abaixo íntegra da nota em Espanhol divulgada pela Plataforma Rural,

Leia mais…

Pesquisa comprova qualidade das sementes da paixão

25, agosto, 2010 Sem comentários

Dois ensaios comparativos foram implantados no município de Juazeirinho, região do Cariri, com 10 variedades de sementes crioulas de milho e duas desenvolvidas pela Embrapa (milho catingueiro e 1051).

Os primeiros resultados revelaram que mesmo com pouca chuva (cerca de 250 mm) as sementes de paixão tiveram melhor desempenho que as variedades melhoradas testadas.

Para estabelecer os parâmetros de comparação, agricultores foram consultados e elencaram os critérios que julgam mais importantes, como: quantidade de palha (utilizada para alimentar animais), produção de grãos, qualidade das espigas, altura das plantas e diâmetro do caule (pensando no consórcio com outras culturas), peso da espiga, entre outros. Em todos esses critérios o comportamento das variedades crioulas superou o das sementes melhoradas.

Na Paraíba, as sementes tradicionais, ou crioulas, receberam o nome de Sementes da Paixão por serem fruto de uma longa trajetória de experimentação.

Reportagem completa e apresentação com os dados preliminares dos ensaios estão disponĩveis na página da AS-PTA.

Produtor quer mais semente de soja convencional

25, agosto, 2010 Sem comentários

Folha de São Paulo, 25/08/2010.

O avanço rápido da soja transgênica em Mato Grosso fez os produtores buscarem novas alternativas para não perderem o fornecimento dessa variedade [leia-se ‘da variedade convencional’].

A soja transgênica, devido à atuação cada vez maior das multinacionais, já atinge 60% do total de sementes ofertadas no Estado. Há três anos era de apenas 20%.

Aprosoja (associação de produtores), Embrapa Soja, Abrange (que reúne produtores e processadores de grãos não transgênicos) e Aprosmat (que reúne produtores de sementes) se reúnem hoje em Cuiabá para acertar detalhes de um programa que dará força à semente convencional no Estado.

Serão escolhidas 20 áreas de Mato Grosso para o cultivo de 22 cultivares da Embrapa apropriadas à região. O objetivo é desenvolver um volume bom de semente para que o agricultor tenha produto à disposição na safra 2011/12.

O objetivo desse programa é o de “fortalecer e manter o plantio da soja convencional”, diz Luiz Nery Ribas, gerente técnico da Aprosoja, entidade que reúne produtores do Estado.

Ele deixa claro, no entanto, que a Aprosoja não é contra a soja transgênica, mas os produtores têm o direito de optar pela variedade que desejam plantar.

Alexandre Cattelan, chefe-geral da Embrapa Soja, diz que há uma boa demanda por soja convencional na região e que o objetivo é fortalecer parcerias para melhorar essa oferta.

A Embrapa, que terá uma unidade em Sinop (MT), voltará a ter forte atuação no Estado, inclusive nas áreas de algodão, arroz, milho e pecuária.

Cattelan deixa claro que, embora esse programa (por ora chamado de “Soja Livre”) procure elevar a oferta de soja convencional, a Embrapa terá também cultivares transgênicas para os produtores interessados.

N.E.: Não cansamos de repetir: não só no Brasil, mas em todo o mundo, o grande avanço das sementes transgênicas tem se dado não pela preferência dos agricultores, mas sim pela imposição das grandes multinacionais sementeiras, que controlam a oferta e reduzem, por vezes ao extremo, a disponibilidade de sementes convencionais. As vantagens agronômicas proporcionadas pelas variedades transgênicas existentes não se sustentam após algumas poucas safras. Mas quando o agricultor se dá conta e decide voltar a usar as variedades convencionais não mais as encontra no mercado. Esse é o resultado óbvio e inevitável de permitirmos que o suprimento do insumo básico da agricultura fique concentrado nas mãos de um punhado de empresas: agricultores reféns.

Monsanto demite 85 de empresa de pesquisa

25, agosto, 2010 Sem comentários

O Estado de S. Paulo, 25/08/2010

A Monsanto confirmou ontem a demissão de 85 funcionários de sua empresa de pesquisa em cana-de-açúcar no País, a CanaVialis Alellyx, o que reduziu o quadro do braço da multinacional no Brasil em 25%, de 340 para 275 empregados. Dos demitidos, cerca de 15 eram pesquisadores com nível superior.

Os cortes foram distribuídos em várias unidades de pesquisa da empresa, cuja sede é em Campinas (SP). Segundo o diretor-geral da CanaVialis Alellyx, Ivo Fouto, a redução faz parte de uma readequação à realidade do mercado. Segundo ele, o processo incluirá “ajustes de mais duas ou três pessoas”. Outro fator que contribuiu para o corte, diz Fouto, foi o Zoneamento Agroecológico da Cana-de-Açúcar, implantado pelo governo federal em 2009, que limitou a cultura em áreas nas quais a CanaVialis Alellyx tinha estações de pesquisa.

A CanaVialis, criada em 2003, e a Alellyx, nascida em 2002, permaneceram companhias de pesquisa independentes dentro da Votorantim Novos Negócios até novembro de 2008, quando foram compradas por US$ 290 milhões pela Monsanto. O executivo negou rumores de que a Monsanto teria planos de transferir as pesquisas com cana do Brasil para os EUA. “Isso não faz o menor sentido.”

CTNBio aprova novas promessas da Monsanto

24, agosto, 2010 3 comentários

Como se lê no release oficial que segue, a CTNBio acaba de chancelar a biossegurança de uma planta transgênica da Monsanto, planta esta que nunca foi aprovada em qualquer outro país do mundo. Somente agora a dona da engenhoca vai procurar sua aprovação em outros mercados mundiais, com a autoridade máxima da biossegurança tuipiniquim debaixo do braço, até para o Brasil ter para onde exportar esta singularidade.

Mas de singular, nem tanto, na verdade. Por mais que essas empresas falem em inovação, características realmente novas como a tolerância à seca ficam como sempre ficaram: para o “longo prazo”. O que se vê agora e para os próximos anos — seja na soja, no milho, no algodão ou na cana — não passa do óbvio, ou seja (a) plantas inseticidas, (b) plantas coadjuvantes de herbicidas e plantas (a) + (b).

Podem até afirmar, como diz a Monsanto, que as “novas” transgênicas aumentam o rendimento (RR2 “provides the increased yield”), mas ainda é pura ilusão, sem base sequer nas intenções dos “engenheiros” genéticos dessas transnacionais do veneno.

por David Hathaway

Leia mais…

E a redução de herbicidas?

24, agosto, 2010 Sem comentários

Mas não dizia a Monsanto que suas novidades tecnológicas permitiriam reduzir o uso de venenos, beneficiando o meio ambiente? Esse item da propaganda não resistiu aos fatos e parece ter caído em desuso. O que vale agora é falar em novas gerações de transgênicos, genes combinados, resistência à seca e por aí vai…

Glifosato alavanca venda de defensivo genérico no Brasil

Valor Econômico | Alexandre Inacio, de São Paulo, 24/08/2010

Nos últimos cinco anos, a participação dos defensivos genéricos no Brasil passou de praticamente zero para 48,5% da receita total do mercado brasileiro. No ano passado, esses produtos foram responsáveis por movimentar US$ 3,2 bilhões, ante os US$ 3,4 bilhões dos produtos “convencionais”, também conhecidos no mercado como “especialidades”.

Em volume, a fatia é ainda maior. O mercado de produtos genéricos representou em 2009 pouco mais de 80% das 725,5 mil toneladas de produto comercial negociada no Brasil. Além disso, das 335,8 mil toneladas de ingredientes ativos comercializadas, apenas 15% foram de produtos convencionais no ano passado.

Parte expressiva desse crescimento se deu pela evolução da soja transgênica no Brasil e o aumento da demanda por seu principal defensivo, o glifosato. “O crescimento dos genéricos foi rápido porque o glifosato é um produto conhecido e muito usado. Aproximadamente 90% dos herbicidas genéricos vendidos são à base de glifosato”, diz Cléber Vieira, gerente de projetos da Agroconsult. No ano passado, os herbicidas responderam sozinhos por 60% da demanda de defensivos em volume. Leia mais…

Só falta voar

23, agosto, 2010 Sem comentários

Veja a “isenção” da nota ao batizar de “supercana” a variedade transgênica que está sendo desenvolvida em São Paulo. Propaganda é pouco. Note também que pleo tom da nota a decisão de colocar no mercado o produto parece depender só do cronograma da empresa.

::

O Centro de Tecnologia Canavieira (CTC) de Piracicaba (SP), que vinha desenvolvendo variedades de cana-de-açúcar transgênicas, anunciou a primeira geração da planta resistente a pragas, herbicidas e à seca. Com maior teor de açúcar que as comuns, as supercanas são até 25% mais produtivas. O produto estará no mercado em 2015 (Isto É Dinheiro, 23/08/2010).

Categories: empresas, transgênicos Tags: , ,

Guardiões de sementes crioulas em Bela Vista do Toldo-SC

21, agosto, 2010 Sem comentários

Na última semana, 20 famílias de agricultores do Assentamento São Francisco, localizado na Microbacia do Rio Vermelho/Pinhalzinho, no município de Bela Vista do Toldo, se reuniram com o objetivo de fazer um banco de armazenamento de sementes crioulas.

Também participaram do encontro os técnicos André e Fabio da AS- PTA – Assessoria e Serviços a Projetos em Agricultura Alternativa, professores da Escola Estanilau Schumann, lideranças de assentamentos da região e o facilitador do Projeto Microbacias, engenheiro agrônomo Julio Lopes de Souza. Leia mais…