BOLETIM N. 15

Bem vindas e bem vindos de volta! Prefeituras Brasil afora promovem ações de grande impacto gastando pouco dinheiro. Essas ações envolvem apoio a feiras, casas e bancos de sementes, além de viveiros, campos de multiplicação e melhoramento participativo. Confira na matéria especial, histórias inspiradoras identificadas pela iniciativa Agroecologia nos Municípios. Veja também a quantas andam as tentativas das empresas para liberar o trigo transgênico e patentear as sementes. Esta edição ainda traz dicas especiais de novas publicações para fortalecer a luta em defesa da agrobiodiversidade.

Matéria especial

Políticas públicas municipais: sementes crioulas e inspiração desde os territórios

“Precisamos desesperadamente de outras histórias” é o que propõe a filósofa belga Isabelle Stengers*. Em outras palavras, trata-se de colocar em questão um fluxo histórico que, escrito sob a narrativa do progresso, tem nos conduzido a crises econômicas, políticas, ecológicas e, sem dúvidas, sanitárias. A partir de experiências de políticas públicas municipais, inspiradoras de “outras histórias”, nos propomos a pensar em algumas formas de fazer política que falam tanto dos novos caminhos que a agroecologia vai tecendo na relação com o Estado e seus representantes quanto da criatividade que emerge dos territórios na construção de outras agriculturas possíveis. Para não perder a tradição, colocamos atenção especial nas sementes crioulas, mais especificamente no campo de relações estabelecidas entre elas e as políticas públicas municipais. Não deixe de conferir a matéria especial produzida para este boletim.

Sementes crioulas na mídia

Políticas municipais para as sementes da paixão

A prefeitura de Santo André, no Cariri paraibano, lançou o Programa Municipal de Aquisição e Distribuição de Sementes da Paixão. A ação é fruto da parceria com o Coletivo Regional das Organizações da Agricultura Familiar e o Patac. “Nós queremos criar uma cultura de estoque, na qual os agricultores possam ter sementes em quantidade e com qualidade para a alimentação familiar e o plantio, logo no início das chuvas, assim como era na época de nossos avós”, disse o secretário da agricultura municipal Alex Barbosa.

Trigo transgênico no nosso pão, não!

A Comissão Técnica Nacional de Biossegurança se reuniu no início de agosto, mas permaneceu sem decidir sobre a importação do cereal transgênico produzido na Argentina. Moinhos, grandes empresas e a indústria de pães e massas seguem contrários à liberação do produto.

Ministério da Agricultura e Alimentação

Políticas alimentares envolvem necessariamente pensar em estratégias que vão da lavoura até o prato. Um dos componentes para que as políticas agrícolas respondam a uma abordagem alimentar integrada e enfrentem a fome do Agro por recursos públicos seria a criação de um ministério para cuidar da alimentação, defende o professor da UFRGS Paulo Niederle.

Sementes livres

Bayer-Monsanto recua em ação judicial na Argentina , na qual postula o direito de patentear uma sequência genética que confere resistência a herbicidas à base de glifosato. Para o juiz a cargo da ação, o pedido da empresa não envolve invenção humana.

Sementes de mão em mão

Enquanto pequenos agricultores doam sementes crioulas, fazendeiros violentam e matam indígenas na região de Dourados, no Mato Grosso do Sul, denuncia MPA. Ruralistas blindaram um trator, conhecido como “caveirão”, para aterrorizar os Guaranis, que lutam por seu território.

Recomendamos:

Catálogo

Raças de Milho do Brasil e Uruguai: Diversidade e Distribuição nas Terras Baixas da América do Sul. O material é resultado do projeto “Raças de Milho das Terras Baixas da América do Sul”, coordenado pelo Grupo Interdisciplinar de Estudos em Agrobiodiversidade – InterABio. O projeto identificou 255 variedades crioulas conservadas a campo por agricultores familiares e comunidades tradicionais nos biomas Amazônia, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica e Pampa. Os resultados ampliam os levantamentos sobre diversidade do milho realizados na década de 1970.

Novos transgênicos, velhos agrotóxicos

Já ouviu falar dos novos transgênicos que as empresas agora querem convencer que não são transgênicos? Dessa forma, as empresas, com apoio dos governos, conseguem liberação automática dos produtos e organismos modificados por essas novas biotecnologias, sem estudos de impacto e sem transparência. Para conhecermos melhor essa nova estratégia das empresas e os riscos dessas novas biotecnologias, separamos dois materiais de referência:

A gravação do seminário “A luta internacional contra as novas tecnologias de edição genética na agricultura”, promovido pelo GT Biodiversidade da ANA, realizado no início de agosto: https://youtu.be/Jv3FpLueLVg

O estudo “Novas biotecnologias, velhos agrotóxicos: um modelo insustentável que avança e pede alternativas urgentes”, disponível em português e espanhol.

Novo livro

Diálogos transdisciplinares em Agroecologia: projeto Café com Agroecologia. A obra é resultado de projeto de extensão realizado por estudantes e professores do mestrado em Agroecologia da Universidade Federal de Viçosa e traz 30 capítulos abordando temas discutidos desde 2015 com o início do projeto.

EXPEDIENTE

Sementes Crioulas é uma iniciativa da AS-PTA – Agricultura Familiar e Agroecologia

Edição: Gabriel Bianconi Fernandes e Helena Rodrigues Lopes
Pesquisa e redação: Helena Rodrigues Lopes e Gabriel Bianconi Fernandes
Produção: Adriana Galvão Freire e Luciano Silveira
Revisão: Silvio Gomes de Almeida, Paulo Petersen
Diagramação: ig+ Comunicação Integrada

Gostou deste Boletim? Escreva pra gente suas sugestões e comentários: revista@aspta.org.br
Confira as edições anteriores em: http://pratoslimpos.org.br/?cat=608